17 dezembro 2012

Shivoham!



Eu não sou nem a mente, nem o intelecto, nem o ego,
nem os reflexos do ser interior.
Eu não tenho sentidos, porque estou além disto!
Eu não sou nem o éter, nem a terra,
nem o fogo, nem o vento.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

Eu não posso ser definido nem como energia,
nem como os cinco tipos de respiração,
nem como as sete essências,
nem como as cinco vestes, nem como a fala,
nem sou eu as mãos e os pés, nem os genitais.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

Eu não tenho nem ódio, nem vinculação,
nem tristeza, nem desilusão,
nem orgulho, nem inveja.
Eu não sou pecado, nem riquezas,
nem desejo, nem a libertação.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

Nem sou eu o mérito, muito menos a vergonha.
Eu não sou nem pecador, nem sou virtuoso.
Não tenho nem alegria, nem tristeza.
Eu não preciso nem de hinos, nem de templos, nem de preces, nem de sacrifícios.
Eu não destruo, nem sou destruído, nem sou a destruição.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

Eu não temo a morte, pois não morro.
Não temo a separação, pois não me separo de mim.
Não temo a dúvida, pois não duvido de minha existência.
Não discrimino ninguém. Não tenho pai, não tenho mãe, pois nem mesmo nasci.
Não sou parente, não sou amigo, não sou mestre, não sou discípulo.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

Eu permeio tudo o que existe, mas não tenho nem atributos nem formas.
Eu sou o eterno equilíbrio.
Não tenho laços com o mundo, nem sou a liberação.
Não desejo coisa alguma, pois sou todas as coisas,
estou em todos os lugares todo o tempo - sempre em equilíbrio.
Eu sou de fato o eterno e glorioso Shiva - amor e alegria.

2 comentários:

gaia disse...

Bernardo sem palavras, gratidao.

tania

tania disse...

Bernardo, sem palavras, gratidao